Fotógrafa que matou namorado em Ribeirão Preto deve responder por homicídio e fraude processual, diz MP

  • 02/04/2024
(Foto: Reprodução)
Promotor do caso descarta alegação de legítima defesa de Brenda Caroline Pereira Xavier e afirma que vai pedir à Justiça a prisão preventiva dela. Mulher confessou o crime, mas está em liberdade. Ministério Público vai pedir prisão preventiva de fotógrafa que matou namorado em Ribeirão O Ministério Público de Ribeirão Preto (SP) deve denunciar a fotógrafa Brenda Caroline Pereira Xavier, de 29 anos, pela morte do namorado Carlos Felipe Camargo da Silva, e também por fraude processual. Siga o canal g1 Ribeirão e Franca no WhatsApp Isso porque, segundo o promotor do caso, Marcus Túlio Nicolino, ela teria alterado a cena do crime antes de a polícia chegar. Brenda Caroline Pereira Xavier é a principal suspeita de matar Carlos Felipe Camargo da Silva, ambos de 29 anos, em Ribeirão Preto (SP) Reprodução/Redes Sociais Além disso, a promotoria descartou o fato de que Brenda tenha agido em legítima defesa. A hipótese já tinha sido afastada pela Polícia Civil. "Há as circunstâncias de eles terem fraudado o local do homicídio. Ela mesma participando, lavando, de modo a dificultar a perícia. Todas essas circunstâncias nos levam a crer que realmente houve ali um homicídio doloso e que não há, a princípio pelo menos, indícios de legítima defesa", diz Nicolino. LEIA MAIS Corretor de imóveis morre após ser esfaqueado em Ribeirão Preto 'Muito ciumenta', diz família sobre mulher suspeita de matar corretor de imóveis Namorada de corretor de imóveis morto a facadas se entrega à polícia e diz que agiu em legítima defesa Namorada suspeita, relação conturbada, golpes de faca: o que se sabe sobre morte de corretor de imóveis em Ribeirão Preto Ao se entregar à polícia, três dias após o crime, Brenda compareceu à delegacia com hematomas que, segundo ela, indicariam que ela era vítima de violência doméstica. Para o promotor, as lesões são suspeitas. "Ela vai ser denunciada por homicídio doloso. No entendimento do Ministério Público, não há evidência nenhuma de legítima defesa. Essas lesões que ela apresenta são bastante suspeitas, podem ter, em tese, ocorrido depois do homicídio consumado". Brenda Caroline Pereira Xavier, de 29 anos, alegou legítima defesa para matar namorado em Ribeirão Preto (SP) Arquivo pessoal O inquérito policial foi concluído nesta terça-feira (2), e o delegado responsável pelo caso, Rodolfo Latif Sebba, pediu a prisão preventiva da mulher. O Ministério Público também deve fazer a mesma solicitação à Justiça sob justificativa de que o pedido é necessário para que não haja nova interferência na colheita de provas e também seja mantida a integridade de testemunhas que eventualmente serão ouvidas no decorrer do processo. Brenda está em liberdade desde o dia 6 de março, quando prestou depoimento à polícia. A EPTV, afiliada da TV Globo, tentou entrar em contato com a defesa da mulher, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem. O caso Carlos morreu no dia 3 de março. De acordo com a polícia, na noite do crime, a vítima foi até a casa da mãe e do irmão, Bruno Camargo Felício, com os pertences e pediu para voltar a morar com a família. À polícia, Felício contou que, em seguida, Brenda apareceu no local e os dois conversaram do lado de fora do imóvel por cerca de dez minutos. Brenda Caroline Pereira Xavier é a principal suspeita de matar Carlos Felipe Camargo da Silva, ambos de 29 anos, em Ribeirão Preto (SP) Reprodução/Redes Sociais Depois da conversa, Carlos informou à família que ia reatar o namoro e voltar com Brenda para a casa onde viviam, no Ribeirão Verde, zona Leste de Ribeirão Preto. O irmão também disse à polícia que horas após o casal ir embora, recebeu uma ligação da mãe de Brenda dizendo que Carlos teria sofrido um acidente e morrido, mas sem explicar ou dar detalhes do que tinha acontecido. Ao chegar à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte, para onde a vítima foi levada, ele foi informado que Carlos havia sido esfaqueado ao menos nove vezes. De acordo com o boletim de ocorrência, na casa onde a vítima vivia com Brenda, a polícia constatou a presença de sangue em diferentes cômodos, inclusive em um dos quartos em que a mobília estava quebrada. O imóvel ainda estava molhado, aparentando ter sido lavado, o que, segundo as investigações, indicaria a tentativa de mascarar a cena do crime. A faca utilizada para matar o corretor não foi encontrada. Três dias após a morte de Carlos, Brenda compareceu à delegacia para prestar depoimento. Ela alegou ter agido em legítima defesa, foi ouvida e liberada. Veja mais notícias da região no g1 Ribeirão Preto e Franca VÍDEOS: Tudo sobre Ribeirão Preto e região

FONTE: https://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2024/04/02/fotografa-que-matou-namorado-em-ribeirao-preto-deve-responder-por-homicidio-e-fraude-processual-diz-mp.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Anunciantes